top of page
  • Foto do escritorAdriana Mugnaini

FIMAN 2023 vem para mostrar a potência da raiz da mandioca para o mundo

Durante a abertura oficial do evento, organizadores falam de expectativa de volume de negócios ultrapassando os R$ 180 milhões

 

Teve início na tarde desta terça-feira (21), a 3ª edição da Feira Internacional da Mandioca – FIMAN, no Parque Internacional de Exposições Presidente Arthur da Costa em Silva, em Paranavaí. Até o dia 23, quinta-feira, o evento vai reunir os principais players nacionais e internacionais do segmento no Paraná, que é o principal estado do Brasil na produção de mandioca com finalidade industrial.

Para o presidente do evento, Maurício Gehlen, a FIMAN foi idealizada como um encontro para acelerar os negócios relacionados à mandioca, abrindo oportunidades para ampliar a capacidade de produção e fortalecer a cultura de inovação observada nos últimos anos. “Na FIMAN 2023 temos empresas do Paraná, do Brasil e muitas de fora do país, que entendem que o nosso Estado, por ser o responsável por 70% da produção nacional de fécula de mandioca., é o lugar onde estão as melhores tecnologias, sejam elas para o homem do campo, ou para a indústria, ou como produto final. Queremos mostrar a potência dessa raiz para o mundo e estamos no melhor lugar. Estamos imbuídos todos no mesmo objetivo, de mostrar Paranavaí, de mostrar nossa cultura e de fazer a diferença”, frisou.

“Este é um setor importante para a economia do Paraná, especialmente para a região Noroeste. Aqui nós vamos ver novas tecnologias, novos produtos, o melhor da cadeia competitiva. Este momento é fruto de um trabalho coordenado daqueles que se dedicam a cuidar daquilo que é de todos. Nossa obrigação como governo é de dar sustentação, apoio, incentivar a todos a investirem e acreditarem cada vez mais nessa cultura tão relevante. Feiras como esta mostram todo o potencial e mudam a perspectiva da economia de toda a região e é disso que nosso Paraná precisa para continuar crescendo”, avaliou o deputado Federal Ricardo Barros, representando o Governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior

Segundo o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí (ACIAP), Rafael Benjamin Cargnin Filho, “a feira é importante, é representativa; prova disso é a quantidade de expositores, parceiros e lideranças reunidas já na abertura da FIMAN. O setor da mandiocultura é um dos principais geradores econômicos na nossa região. O valor agregado vindo da cadeia produtiva faz com que a mandioca seja um dos alimentos essenciais na mesa de pessoas de muitos países pelo mundo”.

Atualmente, o Paraná é o segundo maior produtor nacional de mandioca, atrás apenas do Pará. A última safra 2023/2023 rendeu 2,9 milhões de toneladas.

“Essa é uma Feira feita a muitas mãos, com muitos parceiros que acreditam na força do setor. Ela movimenta, só em serviços, mais de R$ 1,5 milhão só para a sua realização, além de outros tantos milhões em oportunidades de negócios e todo a troca de conhecimento tecnológico. Nós temos muito a evoluir para levar o Brasil a participar com ainda mais força do mercado internacional, e a FIMAN é uma grande oportunidade para encontrarmos os melhores caminhos”, ponderou o presidente do Sindicato Rural Patronal de Paranavaí, Ivo Pierin Júnior.

Além do Paraná, a FIMAN 2023 está recebendo caravanas com participantes de outros sete estados brasileiros: Paraíba, Maranhão, São Paulo, Alagoas, Amapá, Bahia e Santa Catarina. O evento também recebe representantes de outros países como Gana, Lituânia, Camarões, Angola, Zâmbia, Costa do Marfim, Argentina, Paraguai, Turquia e Colômbia.

“A mandioca é responsável por boa parte dos recursos econômicos do nosso município. A mandioca não é usada só na indústria alimentícia, mas a fécula é usada em vários outros produtos. Nossa região tem indústrias gerando tantos empregos. Só podemos parabenizar a todos os envolvidos pela perseverança e inteligência em conduzir o setor e uma Feira dessa magnitude”, elogiou o prefeito de Paranavaí, Carlos Henrique Rossato Gomes (Delegado KIQ).

A cerimônia de abertura oficial da 3ª Feira Internacional da Mandioca contou ainda com a presença do Superintendente Geral de Promoção do Equilíbrio Regional do Paraná (Casa Civil), Rogério Lorenzetti; do chefe geral da Embrapa, Francisco Laranjeiras; do diretor-presidente do Instituo de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-PR), Natalino Avance de Souza; do assessor Lucas Barone, representando o deputado estadual Soldado Adriano José; do assessor Fábio Ferreira de Souza, representando o deputado federal Tião Medeiros; do vice-prefeito de Paranavaí, Pedro Baraldi; dos vereadores de Paranavaí, Delcides Pomin Júnior, José Galvão, Leônidas Fávero Neto e Maria Clara Gomes; dos secretários municipais de Paranavaí, Tarcísio Barbosa (Agricultura), Carlos Emanuel Rodrigues (Desenvolvimento Econômico e Turismo), Amauri Niehues (Desenvolvimento Urbano) e Rafael Torrente (Fundação Cultural); do presidente da Sociedade Rural do Noroeste do Paraná (SRNP), Mario Helio Lourenço de Almeida Filho; do presidente do Centro Técnológico da Mandioca (CETEM), Claodemir Grolli; do consultor do SEBRAE de Paranavaí, Marcos Silvestre; do gerente regional do SESC de Paranavaí, Marcos Scoz; além de industriais, produtores, fornecedores, consumidores e varejistas da cadeia produtiva da mandioca.

A FIMAN 2023 é uma realização da ACIAP (Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí) em parceria com a SRNP (Sociedade Rural do Noroeste do Paraná), Sindicato Rural Patronal de Paranavaí, CETEM (Centro Tecnológico de Mandioca), Prefeitura de Paranavaí, ABAM (Associação Brasileira de Produtores de Amido de Mandioca) e SIMP (Sindicato das Indústrias de Mandioca do Paraná).

O evento é patrocinado por:

- Ademicon Paranavaí

- Amidos Bankhardt

- Central Mesch

- Fino Alimentos

- Grupo Fankote

- Paranavaí Máquinas

- Podium

- Secamaq

- Trans Scalcon

- Top Limpeza

- Trevisan

- Unimake

- Veneza Máquinas

 

 

Jornalista: Keila Metz

Fotos: Frederico Junglaus

Coordenação: Básica Comunicações




58 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page