top of page
  • Foto do escritorAdriana Mugnaini

Programação oficial da FIMAN é lançada durante café com a imprensa em Paranavaí

A Feira Internacional da Mandioca (FIMAN) acontece na próxima semana, de 21 a 23 de novembro. A expectativa é de participação de mais de 5 mil pessoas na Feira.

Foi lançada oficialmente nesta sexta-feira (17), durante um café com representantes dos órgãos de imprensa de Paranavaí e região, a programação da 3ª FIMAN (Feira Internacional da Mandioca), que acontece na próxima semana, de 21 a 23 de novembro. O evento será sediado no Parque Internacional de Exposições Presidente Arthur da Costa em Silva, em Paranavaí-PR. A expectativa é de que mais de 5 mil pessoas, entre industriais, produtores, fornecedores, consumidores e varejistas, participem da Feira.


“Há mais de 40 anos trabalhando neste segmento, sempre tive o sonho de divulgar essa cultura de forma ainda mais profissional. Em 2016, a primeira edição da FIMAN foi um sucesso; em 2018, da mesma forma. Faríamos em 2020, mas a pandemia nos deixou sem condições. Então retomaríamos em 2022, mas optamos por passar a realizar a Feira nos anos ímpares, para que pudéssemos sair do período eleitoral. Foi uma das atitudes mais coerentes que tomamos, pois só assim poderíamos ter uma ajuda mais significativa do Governo Federal, do Estado e do Município”, explicou o presidente da FIMAN, Maurício Gehlen.


O presidente da Feira também frisou a importância da participação dos órgãos de imprensa na divulgação do evento. “Não seríamos nada sem a participação da imprensa, divulgando aos quatro cantos do mundo, a importância desta que é uma cultura que o Paraná tem muito orgulho de ser o responsável por 70% da produção nacional de fécula de mandioca. E dos quais 45% estão na região do extremo Noroeste do Paraná. E porque não falar de Paranavaí, que é a capital nacional da produção de mandioca para fins industriais”.


Gehlen ressaltou ainda que “na FIMAN 2023 teremos empresas do Paraná, do Brasil e muitas de fora do país, que entendem que o nosso Estado, por ser o responsável por essa produção toda que mencionamos, é o lugar onde estão as melhores tecnologias, sejam elas para o homem do campo, ou para a indústria, ou como produto final”.


“Teremos visitas técnicas às empresas, Dia de Campo para produtores rurais que tenham interesse de aprender um pouco mais, inclusive sobre o plantio direto, além de muitas palestras, inclusive internacionais, nos trazendo um pouco da realidade de mercado de países africanos, da Tailândia, do Japão, etc. Queremos mostrar a potência dessa raiz para o mundo e estamos no melhor lugar. Estamos imbuídos todos no mesmo objetivo, de mostrar Paranavaí, de mostrar nossa cultura e de fazer a diferença”, finalizou.


“A FIMAN é um grande evento, um grande orgulho para todos nós. A mandioca era tida como um produto de segunda linha, um produto de terra pobre. Onde não dava nada, dava mandioca. Mas hoje podemos ver a importância da produção e a multiplicação dos produtos oriundos da mandioca – é o que chamamos de valor agregado. Temos aqui uma terra muito rica e isso tem que ser divulgado aos quatro cantos do mundo através desta Feira Internacional que começa na próxima terça-feira, dia 21. Desejamos todo sucesso ao evento e muitas edições de continuidade deste belo trabalho”, avaliou o presidente da ACIAP (Associação Comercial e Empresarial de Paranavaí), Rafael Benjamin Cargnin Filho.


A FIMAN 2023 é uma realização da ACIAP em parceria com a Sociedade Rural do Noroeste do Paraná, Sindicato Rural de Paranavaí, CETEM (Centro Tecnológico de Mandioca), Prefeitura de Paranavaí, ABAM (Associação Brasileira de Produtores de Amido de Mandioca) e SIMP (Sindicato das Indústrias de Mandioca do Paraná).





41 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page